sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Monsters



SOCORRO! UM MONSTROOOOOooo...!

Monstros! Todas as culturas e países tem seus contos e lendas sobre monstros e hoje vamos falar sobre alguns dos grandes e maiores monstros que EU gosto.

E por que eu gosto dessas criaturas? Certa vez li uma revista que falava que depois de ‘papá’, ‘mamã’, ‘bola’ e alguma outra palavra, a próxima palavra que uma criança aprende é um nome de dinossauro. Hahahahaha. E a explicação que se dá é que os dinossauros são a representação dos pais e da força e poder que eles têm perante o pequeno. E talvez inconscientemente eu tenha começado a gostar por isso. Hahahahaha. Mas analisando HOJE, eu gosto por conta da grandiosidade de tais seres, da impotência dos homens perante uma força (às vezes) desconhecida e poderosa da natureza. Mas graças à sabedoria, desejo de proteger os seus ou qualquer outra força, conseguem vencer estes monstros. Ou não. Nem sempre dá pra vencer algumas coisas... Mas vamos lá!

T-Rex 

Vou começar falando pelo dinossauro mais famoso de todos! Mesmo antes de Jurassic Park ele sempre foi muito conhecido e falado, mas quando o primeiro filme saiu em junho de 1993, o ‘lagarto tirano rei’ ganhou ainda mais força, fama e fãs pelo mundo! Gosto da força deste animal que acaba saindo da área de contenção e tocando o terror naquela ilha da Costa Rica! Todo mundo achava que os animais estavam sob controle, mas como diz Ian Malcolm ‘a vida encontra um meio’. E encontrou, para o desespero de quem estava no seu caminho. Mas falando sobre o Tiranossauro, seu corpanzil é capaz de trazer apreensão e medo até mesmo com suas passadas e o tremor que a terra transmite; seu urro, que pra mim é um dos sons criados pelo homem mais incríveis que existe, e a presença que ele tem, mesmo estando parado e atrás da cerca quando engole a cabra ou atacando o jeep virado! Que terror e pavor naquela cena! Pobre Jimmie.

No Mundo Perdido, o segundo da franquia, gostei muito da atuação do casal de T-Rex e da participação do filhote (apesar de aquela cena de todo mundo morto no barco não fazer sentido nenhum...) No Jurassic Park 3, achei ridículo ele ser vencido tão facilmente pelo Espinossauro que tentaram colocar como grande vilão, mas não colou. Felizmente. Já em Jurassic World, que eu tive a felicidade de ver no cinema, eu vibrei muito com a luta contra a Indominus Rex. Assustei quando ela parecia derrotada, mas fiquei maluco quando ela se levantou e atacou em conjunto com o Velociraptor (que também gosto muito, mais do que do Rex, mas estou falando dos grandões aqui hoje). E o fato de ser o mesmo animal do primeiro filme, é fantástico! Sim, é o mesmo animal! Ela tem as cicatrizes da luta contra os Raptors no final do filme! Está na mesma ilha e não se falou da criação de outro animal da mesma espécie ali. Exceto os outros do segundo filme que estão em outra ilha, não tem mais T-Rex soltos por aí. Ufa.

Godzilla

Um monstro criado sem querer por causa de testes com bombas nucleares que tem 50 metros de altura e chuta prédios ocasionalmente. Godzilla, um famoso monstro japonês de borracha com um japa suando dentro dele, sempre causou muito alvoroço com cada filme e cada nova aparição que tinha uma cara nova pra mostrar. Mesmo que muita gente torça o nariz para aquele filme do lagartão em Nova York, eu gostei! Sim, a grandiosidade do animal, a força dele pra destruir aquela cidade icônica e surpreendendo todo mundo com aquela presença arrasadora.

Godzilla, apesar de chutar os prédios de Tóquio de vez em quando, acaba descendo o sarrafo em outros monstros que ousam olhar torto pra ele, e o lagartão radioativo não gosta de dividir a cidade com outras criaturas, venham elas de onde vierem. Inimigos clássicos como King Ghidorah, Mothra, Biollante e outros, trazem muita força para o monstrão. Mesmo que olhando pra eles hoje e achemos ridículos e amadores os efeitos especiais, para a época foi um grande avanço tecnológico. E mesmo as borrachonas dos monstros e papelões das cidades são muito especiais no coração de muita gente. Eu incluso.

Smaug

Como representante dos famosos dragões, escolhi Smaug por conta de sua representação nos filmes do Hobbit em 2011, 2012 e 2013. A grandiosidade do dragão na montanha de tesouros, soprando fogo, voando e falando é magnífico! Aquela cara de besta quando aparece o anãozão de ouro era a mesma cara que eu tinha na hora no cinema. Hahahahaha. Dragões (em geral) são criaturas que amam tesouros acima de tudo e defendem até as últimas consequências. E normalmente quem vence é ele, não os aventureiros que vão até seu covil, mexer com ele que está quietinho, rico e cheio de fome de carne de curioso. Os dragões, mais do que os dinossauros transmitem força, poder, riqueza e sabedoria! Sim, mais do que os dinossauros porque estes não cospem fogo! Hahahahaha. Dragões são seres inteligentes, orgulhosos, desinteressados em compartilhar seus tesouros e voam! As asas são outro detalhe magnífico! Além de toda a imponência destes seres, cuspirem fogo, serem atraídos por ouro como nada neste mundo, eles ainda voam! Assim como no começo da Batalha dos Cinco Exércitos, ver um dragão famoso como Smaug vindo em direção à Cidade do Lago sabendo que ele não vem para tomar um chá, deve ser algo perturbador mesmo.

Titanic

Você dirá agora: “Tá maluco, Marcelo? Titanic é um NAVIO, não um monstro! Tá doidão de pão de queijo, é?”  Bom, eu acho o Titanic um navio monstruoso e sua história é realmente monstruosa. Gosto do filme do James Cameron, mas não por causa do romance de Rose e Jack, nem da música da Celine Dion, mas por causa do trabalho que fizeram para trazer de volta à vida um navio naufragado em 1912. Os detalhes, o luxo, as acomodações e tudo que compunha o navio são fascinantes. Quando ele bate no iceberg e começa a naufragar, a correria para se salvar no meio do oceano Atlântico é tão desesperadora quanto fugir de um dos monstros que citei acima. Quando ele no processo de naufrágio quebra no meio antes de afundar de vez, deve ter sido muito assustador também. Diferente dos animais que temos uma ideia de como podem se comportar e até agir diante deles, um naufrágio naquelas condições tornava tudo muito mais desesperador, mesmo pra quem sabia nadar, estar no meio de um monte de gente, na água geladíssima do oceano realmente deve ter sido uma experiência muito intensa (pra quem saiu vivo, claro). Mesmo à salvo nos botes, tudo aquilo era monstruoso.

Gostaria de falar sobre outros monstros, mas a postagem já ficou bem grande. Tenho algumas ideias pra escrever aqui, mas por conta da vida corrida de casado acaba ficando de um dia pro outro, e pro outro, e pro outro... Mas no começo de Novembro, já tenho um tema pra postar. Falta apenas chegar no meu e-mail uma revista de 111 edições que foi encerrada em 2009 mas que voltará agora em 2016.



Talvez este seja um monstro pior do que todos os outros: o Homem! Mas isso é assunto para outro dia... (Na foto o Bandido da Luz Vermelha)

2 comentários:

Francielly Venancio disse...

Volta a postar. Please!

Marcelo J. dos Anjos disse...

Eita! Nem vi que havia um comentário! Hahahahaha. Voltarei sim!
Agora tenho mais tempo disponível.